quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Casa comigo?

Sua mão suava, sua voz possivelmente tremeria. Mesmo assim olhou-a nos olhos e disse:
Cada parte do seu corpo se entende com todas as demais, mostrando simetria incrível. A tal beleza esperta como já dizia Caetano. Os seus olhos piscam quando devem piscar e a sua respiração é profunda quando deve ser.
O seu modo devagar de andar, misturado com o jeito estabanada de ser, faz parecer que é tudo calculado para ter-me em suas mãos, cozinha como poucas, mais sabe o sabor e a hora certa de pedir uma boa pizza. Assusto-me ao prever que cada ato seu será o certo, pois até seus erros e defeitos trazem coisas que me encantam ainda mais.
Você sabe dizer e sair de cena como se tudo estivesse em um script. Essa sua mania de não ter manias, de aparentar uma perfeição que não existe me deixa com um medo bom dessa sua frieza de atriz.
Às vezes peço para que o sol demore mais um pouco pra nascer ou para se por, peço sorte para que os nossos dias sejam mais duradouros, mesmo sabendo que sorte é coisa de despreparado e de egoísta, pois, a minha sorte de te ter é o azar de todos os outros que te perderam pra mim.

4 comentários:

  1. Olha, comecei um comentário mas virou um texto, talvez eu mande um dia, quem sabe, pra que vc possa admira-lo, huahuahuahua...
    Ah, amei viu...

    ResponderExcluir
  2. Como eu fico tanto tempo sem vir aqui?
    Texto sensível, doce...
    Eu volto, pro meu bem.
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Meninãoo arregaçando!!

    Parabenss!!!

    ResponderExcluir